DestaqueMatérias Completas

Educadores explicam o funcionamento dos cursos profissionalizantes

Na contramão do desemprego, muitas vagas de trabalho surgem, mas não conseguem ser preenchidas devido a falta de mão de obra especializada. Com o intuito de capacitar pessoas para o mercado em curto período, os cursos profissionalizantes enfatizam uma área específica e formam profissionais qualificados para setores e atividades que estão em alta.

O JNB conversou com o coordenador operacional de educação profissional do Firjan Senai Jacarepaguá, Allan José Alves Magalhães; e com o diretor-geral do CEJA (Centro de Ensino de Jacarepaguá), Daniel de Souza Zargidsky; para saber como funcionam os cursos profissionalizantes oferecidos nas instituições.
Confira:

JNB – O curso abre a oportunidade de o aluno ter uma aula experimental prévia dos cursos oferecidos antes de decidir pela carreira que quer seguir? Como isso é feito pela instituição?
Firjan Senai: Infelizmente não. O que geralmente realizamos são palestras alinhadas com a área de negócios ofertando cursos e palestras técnicas. Outrora, o cliente pode vir na unidade conhecer as instalações e tirar dúvidas com o técnico de educação das áreas especificas para melhor entendimento e mediação.
CEJA: O aluno postulante a uma vaga em um dos cursos de formação profissional técnica tem a oportunidade de estar diante de vários profissionais a fim de compreender o campo de atuação e o que cada uma das profissões, de nível técnico, pode realizar. Assim sendo, todos os candidatos a uma vaga são reunidos para uma palestra de apresentação inicial de todos os cursos, para que possam, em caso de dúvida, optar pela formação que mais se adéquam. Os cursos de formação profissional técnica do CEJA oferecem a oportunidade do aluno fazer uma aula experimental, antes de decidir pela carreira que quer seguir, quando esta reunião de apresentação dos cursos já tiver ocorrido.

JNB – A escolha do curso profissionalizante está diretamente relacionada a aptidão do aluno?
Firjan Senai: Depende do curso. Alguns cursos possuem pré requisitos e neste caso, faz-se necessária a comprovação como por exemplo: conclusão do 9º ano fundamental.
CEJA: A escolha do curso profissionalizante está relacionada com a aptidão do futuro profissional, pois acreditamos que deve haver um comportamento inicial do candidato que o remeta a determinada profissão. Quando isso não ocorre, o candidato passa por uma entrevista com o especialista em educação do colégio, que oportunizará ao mesmo a decisão mais adequada quanto ao curso.

JNB – Como proceder caso o aluno decida mudar de carreira no decorrer do curso? É oferecida a oportunidade de ele migrar para outro? Terá que começar do zero? Como é feito?
Firjan Senai: É de fundamental importância que o aluno decida realizar o curso de maneira assertiva, pois uma vez iniciado, ele estará vinculado no sistema na turma gerada. Não existe a opção de migrar para outra turma, pois ele estará sendo evadido no curso matriculado. Não há como reaproveitar o conteúdo.
CEJA: Se mesmo assim, ao longo do curso, o aluno optar por alguma carreira afim, o mesmo poderá migrar para ela, eliminando as disciplinas comuns. No caso de cursos que não tenham relação, o aluno deverá iniciar do zero.

JNB – Vocês possuem parceria com empresas fornecendo oportunidades de estágio?
Firjan Senai: Não.
CEJA: Os cursos oferecem oportunidade de emprego e estágio por meio das parcerias com o CIEE e outras empresas.

Comment here