Esportes e Ecoturismo

Dicas de trilhas em Jacarepaguá

As dicas são do instrutor de escalada e guia de turismo Felipe Dallorto.

– Trilha Rio Grande (Parque Estadual da Pedra Branca PEPB) Núcleo Pau da Fome

Entrando no Parque, podemos avistar logo adiante a famosa casa projetada por Zanini – arquiteto que ficou conhecido por suas casas perfeitamente integradas à natureza. Neste espaço foi montada uma exposição que destaca as riquezas naturais do Parque, como fauna, flora, água e rocha, elementos fundamentais para a compreensão da importância da conservação do maciço da Pedra Branca e de seus ecossistemas.

O percurso semicircular, de 800m de extensão da Trilha Rio Grande, é todo sinalizado e planejado para visitantes de todas as idades, principalmente para crianças. Criada após a reforma do Núcleo Pau da Fome, a trilha tem baixo nível de dificuldade e dura em média30 a40 minutos. As principais atrações são o aqueduto do século XIX, o recanto da Represa da Figueira, o recanto da Represa da Padaria, além de bromélias e árvores típicas da Mata Atlântica como o guapuruvu de 40m (utilizada pelos índios para fazer canoas) e o pau d’alho (cujo cheiro afugenta as cobras). Se tiver sorte, pode se avistar os bichos preguiças.

– Açude do Camorim (PEPB) Núcleo Camorim

Localizado dentro do Parque Estadual da Pedra Branca, na maior floresta em área urbana do mundo, o Açude tem cerca de um quarto do tamanho da Lagoa Rodrigo de Freitas. A caminhada leva até o topo de uma cadeia montanhosa, a mais de400 metrosde altitude, onde se encontra o plácido lago formado pelo Açude do Camorim.

A trilha é considerada fácil, com grau de esforço físico médio. A subida leva mais ou menos 1h30 e durante o percurso encontram-se pisos de pedra ou terra e leitos de riachos. A chegada ao topo é impressionante: um belíssimo lago esquecido por entre as montanhas. O local é ideal para relaxar, meditar e repor as energias. No retorno, passamos pela Cachoeira do Camorim, com cerca de seis metros de altura, uma das mais lindas cachoeiras da cidade com águas puríssimas, onde podemos nos refrescar e trocar o stress pela energia da água. O banho no local é proibido, já que as águas abastecem a comunidade local.

OBS: Todas as caminhadas estão dentro do Parque Estadual da Pedra Branca, no núcleo Camorim e Pau da Fome. Não é aconselhável ir sozinho nestas trilhas.

– Circuito das águas (PEPB) Núcleo Camorim

O Núcleo Camorim, por ser um local rico em mananciais, tornou-se famoso por seu potencial hídrico. Lá, também foram realizadas obras de infraestrutura e recuperação paisagística. Em seis de dezembro de 2002 foi inaugurado o novo prédio para abrigar a subsede do Parque e foram criadas áreas de lazer. O local recebeu sinalização interpretativa do sistema de captação e tratamento de água, recuperação paisagística e sinalização direcional.

Temas como: a poluição e a escassez das águas; a importância ecológica e econômica de um rio; a história das águas no parque e suas estações de captação podem ser abordados nesta Trilha.

O Circuito das Águas é um complexo de atrações como cachoeiras, açude e represas. O tempo médio da caminhada é de 20 minutos, numa extensão de 250km e com baixo nível de dificuldade.

– Pedra do Quilombo (PEPB) Núcleo Pau da Fome

Situado a767 metros de altitude, esta caminhada tem início na sede principal do Parque Estadual da Pedra Branca na (Taquara). A caminhada começa leve, passando perto de córregos e antigas posses, onde até hoje é feita agricultura em pequena escala, como plantações de bananas, aipim e caqui. Após passar por um bananal, a trilha começa a entrar na mata, tornando-se mais inclinada, até chegar próxima ao cume onde há um pequeno trecho de escalaminhada (pequeno trecho que une escalada com caminhada) e necessidade de corda, para servir de corrimão. Trilha muito prazerosa de ser feita, apreciada por trekkers (são pessoas que apreciam e adotam a caminhada de montanha como esporte).

É uma caminhada moderada, com alguns trechos mais pesados e muito bonita, que revela trechos importantes da história da Baixada de Jacarepaguá, na época do antigo Barão da Taquara.

Não é aconselhável ir sozinho nestas caminhadas.

Informações:

Núcleo Pau-da-Fome: Estrada do Pau-da-Fome, 4003, Jacarepaguá.

Núcleo Camorim: Estrada do Camorim, 2118 – Camorim.

O texto foi publicado nas edições 28 e 29 / Dezembro de 2009

Comment here